Posts com a Tag ‘Indaiatuba’

terça-feira, 23 de agosto de 2016

 

 

 

 

De 23 à 25 de Agosto de 2016 acontece em Indaiatuba a 7ª Feira das Indústrias & Negócios de Indaiatuba e Região.

Com cerca de 100 Stands da indústria, comércio e unidades de ensino, o pavilhão estima receber cerca de 7mil pessoas durante os três dias de exposição e conta ainda com 12 palestras de ótimo conteúdo e profissionalismo!

 

A MAXLAN Tecnologia estará presente nos stands de nº 71 a 73, visite-nos ! Será um prazer recebê-los!

Também promoveremos a Palestra “Ameças de Segurança no Mundo Digital” no primeiro dia, às 20h15, no Auditório da Exposição!

Para detalhes da programação de palestras que acontecerão dentro da Feira durante os dias de funcionamento acesse: http://www.feiradasindustrias.com.br/cadastramento/

 
palestraMarco3

7ª Feira das Indústrias & Negócios de Indaiatuba e Região

segunda-feira, 22 de agosto de 2016
A Feira visa fomentar negócios entre expositores e movimentar a economia
 
A Prefeitura de Indaiatuba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, realiza a 7ª Feira das Indústrias de Indaiatuba e Região de 23 a 25 de agosto, das 15h às 21h, no Pavilhão da Viber. O evento reunirá 90 estandes entre indústrias e prestadores de serviços, além de palestras voltadas aos empresários. A Feira visa apresentar para a população o que é produzido em Indaiatuba e em sua região, assim como fomentar negócios entre expositores, movimentando a economia.  O evento conta com o patrocínio da Unimed e tem apoio do Sebrae, Grupo GTA, Laktus e Arganet. A entrada é gratuita.
As empresas já confirmadas para o evento são: SEW Eurodrive;  Kion South;  Big & Strong;  Marca Brindes ; Daran Automação; Argus;  Finita Móveis;  Acquametal;  Metasil;  Torcetex;  Yanmar South;  Shopstar Uniformes;  Birô;  J.Feres Embalagens;  Polychem Produtos Químicos;  Foccus;  TK Logística;  Balilla;  Ivesa;  Jeep;  Manitec Geradores;  Visinox;  Platz Marketing; Seriprint;  Grupo Rekiman;  Concceito Mix;  Engelo;  Maxlan Tecnologia;  Sethi 3D; Rodomago;  Inset Clean;  Megatec;  ASK Tech;  Dunex Logística;  Aliberti;  Printline; Prisma Projetos;  Action Technology; ERS Serviços de Reciclagem; Total Medical; Dynamic Hidraulica e Pneumática;  Casa Americana Artigos de Laboratórios; Aquarela Serviços; M.Mídia; Reduzino Exaustores e Climatizadores ; Compway; CSM Tube do Brasil; Nova Opção Turismo; Meka; Acop Files; Victoria Home; Octo Label; Technocut; VDA Lubrificantes; Inductotherm Group; Golfe Cart; Escola Tecnica Santos Dumont; R&S Resíduos; Cea do Brasil; Newcom; Casa Grande Comunicação Visual;  Total Medical
Palestras Gratuitas:

 

 
FLYER-FEIRA-2016 FLYER-FEIRA-2016-programação

Os ataques cibernéticos possibilitam crescimento no mercado de seguros

sábado, 6 de agosto de 2016

A evolução da tecnologia e o aumento da interconectividade dos dispositivos digitais têm resultado em uma maior exposição a ataques cibernéticos pelas corporações. Segundo o Relatório Global de Impacto Cibernético 2015, produzido pela consultoria e corretora de seguros Aon, as empresas do ramo farmacêutico, saúde, TI e organizações financeiras são os principais alvos dos criminosos porque armazenam dados confidenciais mas, no geral, todas as empresas que usam tecnologia correm o mesmo risco.

Para proteger essas empresas, as seguradoras desenvolveram um novo produto, que promete ser uma tendência para os próximos anos: o seguro cibernético. Esse modelo é uma forma de assegurar a empresa, no sentido mais direto do termo, e não apenas uma solução adicional de segurança.

Este tipo de apólice compensa possíveis perdas financeiras no caso de uma invasão, ressarcindo financeiramente a empresa que tiver perdas monetárias ou pagando indenizações a terceiros que se sentirem lesados, no caso de vazamento de dados.

No Brasil, o seguro cibernético ainda é recente, foi regulamentado há apenas nove anos pela Susep (Superintendência de Seguros Privados). Em outros países a prática já é comum, como nos Estados Unidos, onde 20% das empresas já usam esse tipo de proteção. É preciso mudar essa cultura no Brasil e conscientizar sobre a importância da prevenção contra os crimes cibernéticos.

O Relatório da Aon indica que o mercado tem muito a crescer. Segundo o estudo, que envolveu 2.243 participantes de 37 países, apenas 19% das companhias no mundo todo adquirem esse seguro. Se for considerado somente o Brasil, o índice é inferior a 1%.

A companhia de pesquisas Micro Market Monitor estima que o mercado latino deve crescer em torno de 17,6% por ano até 2020 e o Brasil responderá por mais da metade dos investimentos das organizações no continente nos próximos cinco anos.

Os riscos cibernéticos precisam ser mais bem explorados pelas seguradoras, já que é um mercado em ascensão e levando em consideração que seu Core Business é justamente proteger seus clientes. No caso de um ataque, ter uma apólice de seguro cibernético é a principal solução para minimizar perdas.

Fonte: http://computerworld.com.br/seguro-cibernetico-contra-ataques-virtuais-tem-espaco-para-crescer-no-pais

Dificuldades na gestão de Big Data

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

As empresas demonstram confiança em suas estratégias de Big Data e sinalizam que caminham na direção correta. Porém, grande parte dessas companhias ainda sofre para operacionalizar suas estratégias.

“Big Data avança aos poucos. As pessoas começam a entender diferentes tipos de aplicação do conceito e movem projetos de experimentação para produção”, avalia Stephen Baker, CEO da Attivio, fornecedora de soluções focadas em projetos de grandes volumes de dados.

Segundo o executivo, as companhias enfrentam alguns desafios em suas jornadas. Os principais deles vinculam-se à contratação dos recursos adequados a seus objetivos e à criação de uma cultura corporativa orientada a dados.

Entre abril e maio, a Attivio entrevistou 150 executivos de grandes empresas (com mais de 5 mil funcionários) sobre modos como recorrem a Big Data para basear a tomada de decisões corporativas, bem como a forma que se relacionam com provedores de ferramentas para tocarem seus projetos.

No caminho da eficiência

A pesquisa descobriu que 94% dos executivos responsáveis por iniciativas de Big Data, de forma geral, acreditam que suas estratégias estão no caminho certo. Além disso, praticamente todos (98%) afirmaram que suas companhias estimulam os empregados a tomarem decisões com base em dados e evidências.

Adicionalmente, 81% dos respondentes indicaram que suas empresas ampliarão os investimentos no recrutamento de talentos e contratação de ferramentas que permitam extrair ainda mais valor de grandes volumes de dados ao longo dos próximos cinco anos.

O estudo revela que apenas 23% dos respondentes sente que suas empresas atingiu o sucesso pleno em utilizar Big Data para a tomada de decisões.

Dados por todos os lados

Enquanto 78% dos respondentes relatou que um membro da gestão de sua organização puxa os esforços de utilização de analytics, 41% observam que os registros em suas organizações espalham-se por muitos silos, o que dificulta os projetos devido à inacessibilidade. De fato, apenas 23% dos respondentes afirmaram que suas empresas utilizam mais de três quatros dos dados disponíveis.

Mesmo quando esses dados estão acessíveis, as companhias levam muito tempo para acessarem registros coletados a partir de diferentes fontes. Segundo o levantamento, 37% dos respondentes sinalizaram que essas rotinas consomem um dia ou mais – sendo que, em alguns casos, levam semanas.

Esses não são os únicos desafios. De acordo com o levantamento, 59% dos entrevistados revelou que seus sistemas legados para armazenamento de dados requerem muito processamento e não atendem os requerimentos atuais de negócios.

A percepção de que faltam cientistas de dados é correta, sendo que 66% dos participantes do estudo revelaram que encontram dificuldade de contratar profissionais para essa função. Além disso, o estudo revela que há um cenário de “shadow analytics” (contratação de ferramentas a despeito das regras de TI), o que gera problemas de governança da informação junto a 59% dos entrevistados.

 

Fonte: http://computerworld.com.br/empresas-ainda-sofrem-para-operacionalizar-iniciativas-de-big-data

Olhos de VIVO e CLARO apontam as Zonas Rurais

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Claro e Vivo ampliam o acordo de ran sharing e ampliam o número de erbs e antenas compartilhadas para o atendimento das metas rurais.

O conselho diretor da Anatel concedeu em 25 de Maio, a anuência prévia para os quintos e sextos projetos de ampliação do acordo de compartilhamento de sites e de espectro entre a Vivo e a Claro para o atendimento das metas de cobertura rural com banda larga estabelecidas no edital de venda das frequências de 2,5 GHz. Serão mais 180 sites compartilhados. Acrescido aos já aprovados, o projeto conta com um total de 412 erbs e antenas compartilhadas.

Ao comprarem essas frequências as empresas assumiram o compromisso de levar a banda larga fixa a velocidades de até 525 Kbps para as áreas rurais brasileiras até 30 quilômetros dos municípios brasileiros.

Para autorizar o compartilhamento das redes e da frequência e consequente otimização dos investimentos, a agência determinou que as metas de cobertura resultante desses acordos só poderiam ser atendidas pelo serviço móvel, e não mais pelo serviço fixo, como permitia o edital. As operadoras concordaram com essa determinação e estão ampliando o acordo, que teve hoje, 25, nova autorização da agência.

 

Fonte: http://www.telesintese.com.br/vivo-e-claro-ampliam-ran-sharing-nas-areas-rurais/

 

 

Investimentos em Tecnologia – A aposta dos Bancos Brasileiros em TI

sábado, 2 de julho de 2016

Segundo a Febraban, investimentos em tecnologia no período somaram R$ 5 bilhões, enquanto as despesas foram de R$ 14 bilhões

 

Os bancos brasileiros destinaram R$ 19,2 bilhões a esforços de tecnologia da informação ao longo de 2015. Segundo a Febraban, os recursos classificados como investimentos foram da ordem de R$ 5 bilhões, enquanto as despesas somaram R$ 14 bilhões no período. Do montante, 44% foi aplicado em software, 35% em hardware e 20% em telecom

 

O total verificado representa queda frente aos R$ 21 bilhões alocados em TI pelas instituições financeiras no ano anterior. Na ocasião, o setor investiu R$ 8 bilhões. As despesas, em 2014, foram da ordem de R$ 13 bilhões.

Gustavo Fosse, diretor setorial de tecnologia e automação bancária da Febraban, classifica a retração no montante investido no comparativo anual à redução no preço de commodities e ao fato que, nos períodos anteriores, empresas como Itaú e Bradesco haviam realizado aportes intensos na construção de novos data centers.

“Há também uma mudança na forma como alguns bancos vem adquirindo tecnologia”, pondera o executivo, sinalizando que a contratação de recursos de cloud computing finalmente começa a aparecer no radar dos CIOs das instituições bancárias.

Fosse salienta, por exemplo, que a compra de TI “como serviço” é caracterizada contabilmente como “despesa”, o que justificaria a redução de R$ 3 bilhões no montante alocado em investimentos no comparativo anual.

Os números da federação revelam queda na proporção de recursos alocados para aquisição de hardware, de 40% para 35% nos últimos 12 meses. Porém, o dinheiro destinado a software teve um salto de 39% para 44% entre 2014 e 2015.

Na opinião da Febraban, o contexto alinha-se à redução nos gastos do setor verificada ao redor do mundo. Os investimentos e despesas globais em tecnologias pela indústria financeira foram de US$ 351 bilhões em 2015, contra US$ 362 bilhões no ano anterior e pouco abaixo dos US$ 354 bilhões em 2013.

De acordo com a associação, o setor bancário brasileiro é responsável por 13% do mercado brasileiro de TI. O percentual verificado no mercado local é proporcional ao gastos globais da vertical de finanças com informática.

A amostra contempla dados fornecidos por 17 bancos, que representam 93% dos ativos dessa indústria no Brasil. O País é o 7º colocado entre os países que mais aplicam recursos em TI no setor bancário em comparação ao PIB e lidera entre as nações que compõem o bloco dos Brics.

 

Fonte: http://computerworld.com.br/bancos-brasileiros-destinaram-r-

192-bilhoes-esforcos-de-ti-em-2015

Produtos da Grandstream recebem o certificado da Anatel no Brasil

terça-feira, 28 de junho de 2016

Em Novembro de 2015 a Grandstream anúnciou, com mérito, a conquista da certificação de uma variedade de telefones IP da Grandstream, como IP com Vídeo, IP para Soluções Empresariais e IP para Pequenas Empresas através da ANATEL.

Mas muitos profissionais ainda não se deram conta de que os Produtos da Grandstream possibilitam maior eficiência no dia-a-dia corporativo !

Com tal certificação, os parceiros no Brasil, podem distribuir e utilizar os produtos da Grandstream na sua região e começar a tirar proveito dos seus benefícios.

 

A linha de produtos da certificação inclui:

 

  • GXV3240 Telefone IP Android com Video
  • GXV3275  Telefone  IP  Android com Video
  • GXP2160   Telefone IP Corporativo
  • GXP2140   Telefone IP Corporativo
  • GXP2130    Telefone IP Corporativo
  • GXP1620/1625 Telefone IP para pequenos negócios
  • GXP1610 Telefone IP para pequenos negócios

Para saber mais acerca desta certificação e dos produtos, visite o  comunicado de imprensa na pagina.

 

A Maxlan também pode te atender em estruturas de multiplataforma digital, com infraestrutura, assessoria e assistência técnica !

Consulte-nos !

 

 

 

Novo roteador permite ver o que todos na casa estão fazendo online

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Recentemente, uma nova onda de dispositivos tenta simplificar a criação de redes Wi-Fi. É o caso do Luma, uma solução que permite a criação de uma única rede com múltiplos pontos facilmente configurável. Basta comprar três (ou mais) unidades, espalhar pela casa, e o produto se encarrega de criar uma rede satisfatória de bom alcance.

No entanto, ele não é o primeiro a ter essa ideia, e não é por isso que ele se destaca. O que realmente diferencia o Luma dos demais é a capacidade de vigiar tudo que todos conectados à rede estão fazendo, com direito a imagens indicando quais sites cada pessoa está acessando em determinado momento.

O produto conta com um aplicativo para celular com múltiplas funções, entre os quais está o monitoramento de atividades dos dispositivos conectados. O roteador não espelha o conteúdo, no entanto, apenas mostra os sites conectados. Por exemplo: se o filho do administrador está no Facebook, ele conseguirá saber, mas não poderá ler as mensagens que ele troca com seus amigos.

O recurso de monitoramento é voltado para crianças, permitindo que os pais saibam se ela está fazendo o trabalho de escola que lhe foi passado ou apenas se divertindo na internet. Ele oferece filtros de conteúdo por idade, e é possível para o jovem pedir o desbloqueio de uma página específica se for necessário. Uma janela de chat será aberta para permitir a discussão para os pais liberarem ou não.

Mas o problema é que o recurso não se restringe a crianças. Ver o que elas estão fazendo já é algo que pode ser polêmico, mas também é possível monitorar o que todas as outras pessoas estão fazendo online, até mesmo outros adultos que morem no local ou apenas estejam visitando. Apenas uma pessoa pode ser administrador do Luma; as outras estão sujeitas a monitoramento constante.

O lançamento acontece no ano que vem, com os envios das primeiras unidades vendidas na fase de pré-venda acontecendo no segundo trimestre. Uma unidade do aparelho está saindo por US$ 100 nesta fase, e o pacote com três sai por US$ 250. A empresa projeta um aumento no futuro, subindo os valores para US$ 200 por unidade e US$ 500 no pacote com três.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/novo-roteador-permite-ver-o-que-todos-na-casa-estao-fazendo-online/52760

Fonte original em ingles: http://www.theverge.com/2015/11/5/9674264/luma-router-announced-multiroom-wifi-parental-controls

Suporte a dispositivos móveis

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

TeamViewer – A solução inteligente para suporte a dispositivos móveis

Certamente, você já ouviu falar do aplicativo compatível com dispositivos móveis do TeamViewer, mas você sabe o que nós fazemos com ele?

Com o recurso de compartilhamento de tela em tempo real para aplicativos iOS ou Android, podemos dar suporte aos usuários de aplicativos móveis e ajudá-los a resolver problemas. A função de compartilhamento de tela agora é compatível com todos os dispositivos Android 5.0, independente do fabricante. A solução inteligente ajuda a oferecer o melhor suporte para os dispositivos móveis.

Mais detalhes em: https://www.teamviewer.com/pt/products/mobile-device-support.aspx?utm_source=TV-Newsletter-pt&utm_medium=Email&utm_campaign=TeamViewerNewsletterQ32015&utm_content=Content%2BLinks%2BMDS&pid=news.TeamViewerNewsletterQ32015

Fonte: TeamViewer

Os ataques estão cada vez mais sofisticados

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

No dia 24 de outubro, o Fantástico divulgou uma extensa reportagem sobre roubo de dados digitais. Essa modalidade de ataque, conhecida como Ransonware, tem comprometido a continuidade de negócios ao redor do mundo, em empresas de diversos portes, além de celulares. Ao atacar a rede, os hackers roubam todas suas informações em troca de valor de resgate.

A Cisco, através de seu reconhecido time de pesquisa, o Talos, conhece bem ataques como este e pode ajudar você e sua empresa e evitar o roubo de dados. Além disso, nosso relatório semestral de segurança, detectou o aumento destes ataques no Brasil. Confira o Cisco Security Mid-Year Report aqui.

Só quem entende pode proteger toda a extensão da sua rede.

A Cisco promove a proteção em toda a extensão de sua rede, em diversos devices e garante visibilidade, controle e remediação durante todo o ciclo de uma ameaça – seja antes, durante ou depois de um ataque.