Posts com a Tag ‘Oi’

TIM QUER DOBRAR QUANTIDADE DE CIDADES COM 4G ATÉ FINAL DO ANO

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Operadora pretende entrar em 2017 com a quarta geração de redes móveis disponível em mil cidades. Vai, também cobrir toda a capital do Rio de Janeiro com agregação de portadoras

A TIM aposta alto da expansão de sua rede 4G. O objetivo é ser rápido e aproveitar diferenciais competitivos que outras operadoras têm dificuldade em igualar – como a alta capilaridade da rede usando frequências em 1,8GHz.

A empresa pretende, até o final do ano, atingir a marca de mil cidades com cobertura LTE. No momento, são 520 cidades. O número será alcançado com o refarming do espectro. Os 1,8 GHz eram usados no 2G (GSM) pela tele. Por sua vez, o 2G atualmente concentra 1,5% do tráfego de dados e 20% do de voz.

Além de quase dobrar a lista de municípios atendidos com a rede móvel de quarta geração, a TIM dará atenção especial ao Rio de Janeiro, que se beficiária do legado olímpico. A cidade será a segunda a ter cobertura com agregação de portadoras.

A primeira é Rio Verde, em Goiás, onde a faixa de 700 MHz foi liberada no começo do ano. A pequena cidade tem funcionado como um piloto para a agregação de portadoras. Os resultados alcançados até agora mostram que vale a pena correr para usar a tecnologia. “Em Rio Verde obtivemos velocidades em campo de 60 Mbps. A combinação de faixas tem um caráter muito promissor”, afirma o CTO da TIM Brasil, Leonardo Capdeville.

Haverá uma diferença, porém. Enquanto em Rio Verde a TIM recorre à recém liberada faixa de 700 MHz, no Rio a agregação usará apenas as faixas de 1,8 GHz e 2,6 GHz. Mas a expectativa é grande. “Com os 700 Mhz comprovamos que o alcance é quatro vezes maior que o das estações de 2,6 GHz, sem qualquer interferência na TV”, falou. O Rio terá disponível os 700 MHz apenas em 2018, segundo o cronograma de limpeza da faixa, usada pelas emissoras de TV analógica.

Outra diferença diz respeito ao acordo de RAN sharing com a Oi. Na cidade, TIM e Oi compartilham infraestrutura de 2,5 GHz. Para fazer a agregação, a TIM está instalando equipamentos próprios, adicionais e não compartilhados. Mas isso não alterará o compartilhamento existente, garante o executivo.

 

 

Fonte: http://www.telesintese.com.br/tim-quer-dobrar-quantidade-de-cidades-com-4g-ate-final-do-ano/

Mudanças no mercado de telefonia m[ovel

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O mercado móvel celular registrou adição negativa no mês de maio em relação a abril. Foram perdidos 1.197.41 milhão de acessos em 30 dias, com a TIM liderando a perda de base, com 1 milhão de acessos a menos no período. Claro, Vivo e Nextel também tiveram queda. Apenas a Oi teve adição positiva em maio, segundo dados revelados nesta sexta-feira, 15/07, pela Anatel.

Segundo os dados da agência reguladora, o Brasil registrou em maio, 255,23 milhões de linhas ativas na telefonia móvel e teledensidade de 124 acessos por 100 habitantes. Em abril, eram 256.429.095 milhões de acessos. No quinto mês do ano, os acessos pré-pagos totalizavam 180,88 milhões (70,87% do total) e os pós-pagos, 74,35 milhões (29,13%).

O 4G segue em alta e acrescentou 1,673 milhão de novos acessos de abril para maio, fechando o mês com 36.555.428 milhões de acessos ativos. Já o 3G mantém a tendência de baixa e perdeu 777.841 mil acessos de abril para maio, caindo de 143.675.329 milhões acessos ativos para 135.896.918 milhões de acessos ativos.

Entre as operadoras, a TIM foi a que mais perdeu base – 1 milhão – caindo de 66.374.691 em abril, para 65.371.554 milhões em maio. A Claro também registrou perda, mas bem abaixo da rival: 231.219 acessos, ficando com 64.585.709 milhões de acessos ativos. A Vivo registrou ligeira queda – 14.372 mil – e se manteve na liderança com 73.256.923 milhões de acessos ativos.

A Oi foi a única operadora a ter adição positiva em maio: 52.146 mil acessos e chegou a 47.737.129 milhões de acessos ativos. A Nextel – que vinha numa tendência de crescimento, estagnou e também registrou queda de 13.284 mil acessos. A operadora – que tem venda especulada – fechou o quinto mês do ano com 2.458.525 milhões de acessos ativos.

*Com dados da Anatel

 

 

 

 

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=42981&sid=8

Conexão 4G avança, mas 3G ainda é maioria

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

O 4G tem sido a salvação econômica das operadoras móveis no Brasil em 2016 ao apresentar uma taxa constante de crescimento. O serviço cresceu 208% em 12 meses e chegou a 36,6 milhões de terminais ativos em maio, de acordo com dados da Anatel, divulgados na semana passada. Mas há uma questão a ser discutida: a cobertura ofertada. Mesmo que muito acima do que estabelece as diretrizes da Anatel para a aquisição das frequências, o 4G – como aconteceu com o 3G – cresce nos municípios de maior desempenho econômico e está presente em 558 municípios, com 55% da população economicamente ativa, ou 9,6% do total de municípios – 5770.

Na disputa das teles, informam os números apurados pelo portal Teleco, a Vivo é a operadora com maior número de celulares 4G ativos com 13.481 milhões. A TIM desponta na segunda posição com 10.433 milhões. A Claro aparece na terceira posição com 7.044 milhões e a Oi na quarta posição com 4.650 milhões. A população atendida com o 4G ficou assim em junho: TIM (55,0%), Claro (48,2%), Vivo (47,2%), Oi (45,7%) e Nextel (5,1%).

As velocidades das redes LTE não são uniformes. Elas tendem a variar entre operadoras. Com dados de fevereiro, de um estudo da Open Signal, o portal Teleco informa que a Vivo possuia a maior velocidade de 4G no Brasil com média de 15 Mbps, seguida da Oi (13 Mbps), Claro (12 Mbps), Tim (9 Mbps) e Nextel (3 Mbps).

Já o 3G – que perde base para o 4G de forma constante – está presente em 4.791 municípios do país, com pouco mais de 700 municípios, ou cerca de 6 milhões de brasileiros ainda sem serviço, ou 3,2% da população.

Mas é fato que em 2062 municípios, o serviço 3G é prestado sem concorrência e por apenas um único provedor. Isso representa que 21 milhões de brasileiros não têm acesso a disputa entre as operadoras. A concorrência entre as quatro grandes operadoras acontece em apenas 438 municípios, que atendem a 20,8% da população, ou 42.607.622 milhões.

 

 

 

 

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/

start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=42985&sid=17#.V5-J1DsrLIV

Oi também amplia cobertura móvel para Jogos Olímpicos do Rio

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A Oi iniciou em Julho uma operação para garantir o serviço durante Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. Segundo comunicado da empresa na quinta-feira 21/julho, foram instaladas novas antenas, enquanto as estações radiobase existentes tiveram a capacidade ampliada. Além disso, a companhia terá uma central de monitoramento dos serviços fixos e móveis de telefonia, banda larga e TV funcionando 24 horas por dia durante os eventos esportivos.

A operadora afirma que, do total de estações para atender a demanda durante as Olimpíadas, “quase metade” recebeu novos sites, sendo que parte dessas novas antenas será definitiva. Essa ampliação aconteceu nos centros de concentração de pessoas, chamados de clusters pela Oi, como aeroportos e rodoviária. Dentre os locais onde os novos sites ficarão em atuação, estão: Parque Olímpico, Vila dos Atletas, Riocentro, Estádio de Remo da Lagoa, Engenhão, Maracanãzinho, Marina da Glória e Complexo de Deodoro.

As ações realizadas incluem vistorias prévias na infraestrutura, com ações preventivas e planos de contingência, paralisação de intervenções programadas na rede para evitar falhas e planejamento de distribuição de equipes exclusivas nas regiões onde haverá competições. A Oi afirma que tudo atende ao planejamento do Comitê Olímpico e foi aprovado pela Anatel. Recentemente, as concorrentes TIM e Vivo também anunciaram reforço na cobertura no Rio de Janeiro para os eventos.

 

 

Fonte: http://www.mobiletime.com.br/21/07/2016/

oi-tambem-amplia-cobertura-movel-para-jogos-olimpicos-do-rio/448202/news.aspx

Pouco antes de entrar em Recuperação Judicial – Oi investiu no RJ

quarta-feira, 6 de julho de 2016

De janeiro a março, a Oi investiu R$ 218,7 milhões no Estado do Rio de Janeiro, segundo informou a empresa nesta quarta, 25, alegando ser um montante para redes como uma estratégia de transformação operacional para melhoria da qualidade de serviço. Também no primeiro trimestre, a empresa implantou 33 novos sites com antenas 2G, 3G e 4G na região, incluindo duas novas cidades (Carmo e Sumidouro) com a cobertura de terceira geração. A rede LTE está disponível nas cidades de Belford Roxo, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaboraí, Macaé, Magé, Niterói, Nova Iguaçu, Petrópolis, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João do Meriti e Volta Redonda.

Os investimentos da Oi no trimestre para o País inteiro foram de R$ 1,204 bilhão, um aumento de 12,3% em relação ao ano anterior. Isso significa que o investimento para o Rio de Janeiro foi cerca de 18% do total do Capex entre janeiro e março deste ano. A companhia afirma estar concentrando esforços para o plano de longo prazo baseado em convergência, digitalização, austeridade nos custos e experiência no cliente.

Vale lembrar que na semana passada a Anatel aprovou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Oi prevendo a troca de R$ 1,5 bilhão de multas aplicadas e estimadas por investimentos de R$ 3,2 bilhões em quatro anos. Entre as determinações da decisão do Conselho Diretor, está a proposta de trocar a rede de cobre principalmente na Baixada Fluminense, beneficiando 1 milhão de domicílios.

Mas, notícias recentes informam que a Oi entrou em recuperação judicial. Qual será o futuro desta empresa que tem investido tanto no setor de TI ?

 

Fontes:

http://www.mobiletime.com.br/25/05/2016/

oi-investiu-r-218-7-milhoes-no-rio-de-janeiro-no-primeiro-trimestre/440367/news.aspx

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/06/

oi-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial.html

 

 

Dados confirmam: Banda Larga Fixa mantém expansão no Brasil!

segunda-feira, 4 de julho de 2016

A banda larga fixa no Brasil manteve a tendência de expansão em abril. O mês terminou com 25,88 milhões de assinantes do serviço no país, 84,78 mil a mais que em março, equivalente a crescimento de 0,33%. Comparando-se o número a abril de 2015, tem-se um crescimento de 4,83% no período na base de acessos de banda larga fixa. Os dados foram divulgados hoje, 02, pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A prestadora de serviço de comunicação multimídia, ou seja, de acesso à internet, que mais atraiu clientes no período foi a Telecom Américas (nome do grupo que reúne Claro, Net e Embratel). Foram adicionados, em um ano, 439.852 acessos a sua base. Em termos relativos, foi uma evolução de 5,65% em 12 meses. A empresa também terminou o mês como maior operadora, com 8,22 milhões de acessos.

Os provedores regionais formam o que seria a quarta maior operadora de banda larga fixa do país e foram os que mais atraíram clientes depois de Net. Encerram abril com 2,42 milhões de acessos, 323.423 a mais que um ano antes, ou 15,37% de crescimento.

A Telefônica obteve 234 mil assinantes em um ano, expansão de 3,26%. Terminou o mês com 7,4 milhões de acessos.

A Oi, terceira maior operadora de banda larga fixa, apresentou o pior desempenho de todas as empresas do setor. Foi a única entre as empresas a registrar retração da base em 12 meses: perdeu 94 mil acessos, encolhendo 1,46%.

Quem mais cresceu em termos relativos foram empresas que apostam em novas tecnologias. A Sky, com sua internet por LTE, ampliou sua base de assinantes em 71,4% em um ano. Ganhou 121,3 mil clientes e fechou abril com 291,18 mil acessos. A Telecom Italia (TIM), com seu serviço FTTC e FTTH, cresceu 60,95% em um ano, ganhando 108.161 acessos. Encerrou abril com 285.619 clientes.

 

Fonte: Anatel e http://www.telesintese.com.br/banda-larga-fixa-mantem-crescimento-em-abril/