Posts com a Tag ‘computadores’

Fabricantes de computador ainda tem mercado !

domingo, 7 de agosto de 2016

O Gartner estimou que o mercado mundial de computadores ainda tem várias oportunidades de lucros para fabricantes de PC, apesar de ter registrado uma de suas mais baixas taxas de crescimento no primeiro trimestre de 2016.

“Os computadores já não são a primeira ou única escolha dos usuários para acessar a Internet. Nos últimos cinco anos, as vendas globais de PCs tradicionais (desktop e notebooks) caíram de 343 milhões de unidades em 2012 para cerca de 232 milhões de unidades em 2016. Em termos de receita, o mercado global de computadores tinha em 2012 um contrato de US$ 219 bilhões. Para 2016, a expectativa é de US$ 122 bilhões”, afirma Meike Escherich, analista de Pesquisa do Gartner.

Muitos fabricantes intermediários de computadores estão enfrentando dificuldades. “Eles estão reduzindo severamente sua presença nacional e regional ou deixando o mercado de computadores por completo. A Acer, a Fujitsu, a Samsung, a Sony e a Toshiba perderam 10,5% de participação no mercado desde 2011. No primeiro trimestre de 2016, a Dell, HP Inc. e Lenovo ganharam participação, mas registram declínio ano a ano”, explica Escherich.

Os negócios regionais também estão mudando. O preço baixo do petróleo e as incertezas políticas levam a um agravamento da economia no Brasil e na Rússia, fazendo com que estes países deixem de ser impulsionadores de crescimento. Em termos de volume, os Estados Unidos, a China, a Alemanha, o Reino Unido e o Japão permanecem como os cinco primeiros do ranking, mas seus consumidores também diminuíram o número de computadores por domicílio.

“No entanto, os PCs ainda são capazes de atuar em áreas onde os smartphones e tablets não podem, com telas maiores, teclados ergonômicos, maior capacidade de armazenamento e processadores mais potentes. Com um mercado saturado e com a queda nos ASPs (do inglês “average selling price”ou preço médio de venda), os fabricantes de computadores devem focar na otimização da rentabilidade para sustentar o crescimento”, afirma Tracy Tsai, vice-presidente de Pesquisa do Gartner.

 Captação da crescente demanda por ultraportáteis premium

Apesar do declínio do mercado de computadores, o segmento ultraportátil premium é o único com a certeza de alcançar um crescimento de receita este ano. Estima-se que o mercado chegue a US$ 34,6 bilhões, um aumento de 16% em relação a 2015. Em 2019, o Gartner prevê que a indústria de modelos ultraportáteis premium se tornará a maior do mercado de PCs em termos de receita, com US$ 57,6 bilhões.

“O mercado ultraportátil premium também é o mais lucrativo em comparação com o de entrada, em que computadores custam até US$ 500 e têm uma margem bruta de 5%. Esse percentual pode alcançar até 25% para PCs ultraportáteis premium superiores a US$ 1.000”, explica Tracy.

O segmento continuará a crescer devido à demanda de substituição de computadores tradicionais e à experiência de toque que o mercado dois-em-um (tablets e híbridos) fornece. Há uma expectativa de queda lenta para o ASP do segmento de ultraportáteis premium podendo chegar a US$600 em longo prazo. Esta situação, junto com os inovadores produtos dois-em-um, irá motivar os usuários não somente a substituírem seus computadores, mas também a trocarem por um dispositivo com mais funcionalidade e flexibilidade.

Dessa forma, os fabricantes de PCs precisam ajustar seu portfólio de ultraportáteis premium em mercados como a América do Norte, Europa Ocidental, China, Ásia/Pacífico e Japão, onde o segmento continua a crescer.

 

Capitalizar na rentabilidade em longo prazo do mercado de computadores para jogos

Embora o mercado de computadores para jogos seja pequeno, com somente alguns milhões de unidades vendidas por ano, o ASP de um modelo desse tipo é significativamente maior do que o de um PC comum. Seu valor médio de venda varia de US$ 850 – opção de entrada de notebook para jogos – a US$ 1.500 para uma versão premium.

“Os modelos de ponta do segmento de computadores fabricados para jogos devem ser o foco dos fabricantes, pois, apesar da alta competitividade, apresentam maior rentabilidade em longo prazo”, afirma Tracy.

 

A Internet das Coisas está cheia de oportunidades

As empresas de PCs também precisam olhar para o mercado de Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) e identificar as áreas que possuem maior potencial para lucro. Por exemplo, podem usar a IoT para melhorar os produtos e os serviços para o cliente.

“Os fabricantes podem detectar com sensores se a bateria está ficando muito quente ou se o HD está sendo sobrecarregado e enviar um alerta ao cliente para verificarem o computador antes que ele desligue. Isso pouparia custos de operação dos produtores e também ajudaria os usuários com um serviço melhor”, conclui Tracy.

 

Fonte: http://ipnews.com.br/oportunidades-de-lucro-para-fabricantes-

de-computadores-ainda-sao-boas-diz-gartner/

Consumo Sustentável – A vida útil dos computadores

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Em cinco anos, metade dos computadores apresentará algum defeito, afirma Idec e Market Analysis em pesquisa inédita sobre o desempenho e durabilidade de aparelhos eletroeletrônicos na visão do consumidor

 

Dentre os dez produtos analisados, computadores e celulares são os que apresentam a maior frequência de problemas de funcionamento. E, em média, os consumidores esperam uma vida útil de 2 a 3 anos a mais do que de fato os aparelhos apresentam. 
Pesquisa sobre ciclo de vida de aparelhos eletrônicos realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e pelo Instituto de Pesquisa Market Analysis demonstra que a satisfação sobre o desempenho e durabilidade dos produtos eletroeletrônicos é menor com relação aos celulares, que também está, junto com o computador, entre os aparelhos que têm maior frequência de problemas de funcionamento.
Apresentaram defeito ao menos uma vez, num tempo médio de uso:
Combinando o tempo de posse dos aparelhos com o número de problemas relatados neste período, o resultado é que, em média, a cada cinco anos, 51,6% de todos os computadores e 42,3% de todos os celulares do país apresentarão algum defeito. Este dado objetiva a obsolescência funcional programada, isto é, a durabilidade planejadamente reduzida dos aparelhos como indutor das vendas.
Os dados corroboram as informações do Sindec – Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor, que reúne os atendimentos de 279 Procons do país – dos últimos sete anos, período no qual ambos os produtos lideraram as reclamações.
Mesmo assim, 70% dos brasileiros dizem que estão satisfeitos com aparelhos eletroeletrônicos que possuem. A elevada satisfação com os aparelhos eletrônicos está relacionada à ocorrência de um problema de funcionamento com o aparelho. É mais comum encontrar consumidores satisfeitos enquanto esses não vivenciaram problemas com os aparelhos eletrônicos que possuem. Havendo um único problema com os aparelhos, a satisfação já apresenta queda.
“Existe o que poderíamos qualificar como uma assimilação conformada do consumidor frente às estratégias da indústria e da propaganda, já que ele percebe “em abstrato” que os aparelhos deveriam durar mais, mas está satisfeito com a durabilidade e desempenho de seu aparelho”, considera João Paulo Amaral pesquisador do Idec.
“Os consumidores conciliam suas aspirações a um aparelho menos descartável com sua realidade de troca do mesmo ajustando suas expectativas de durabilidade e expressando uma satisfação com o aparelho que a troca parece desmentir”, comenta o diretor do Instituto de Pesquisa Market Analysis, Fabián Echegaray.
Os segmentos com menor renda disponível para o consumo descartável – os jovens e os de classe mais baixa – valorizam mais a durabilidade dos produtos e, portanto, expressam mais intensamente a sua frustração quando se defrontam com problemas de obsolescência funcional.
“O dado surpreende porque, por razões óbvias, o vendedor não deveria ser considerada uma fonte isenta para esta informação. De toda forma, é interessante ver como sites e fóruns especializados no assunto também são fontes relevantes aos consumidores”, avalia João Paulo.
Como foi feita a pesquisa
Foram entrevistados, por telefone, 806 homens e mulheres, de 18 a 69 anos, de diferentes classes sociais das seguintes cidades: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). O número de entrevistados em cada capital foi proporcional à população de cada capital. O levantamento foi feito entre agosto e outubro de 2013. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos.
 Para mais informações e gráficos, leia mais em:  http://www.idec.org.br/consultas/teste-e-pesquisa/

em-cinco-anos-metade-dos-computadores-apresentara-algum-defeito

 

Os ataques estão cada vez mais sofisticados

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

No dia 24 de outubro, o Fantástico divulgou uma extensa reportagem sobre roubo de dados digitais. Essa modalidade de ataque, conhecida como Ransonware, tem comprometido a continuidade de negócios ao redor do mundo, em empresas de diversos portes, além de celulares. Ao atacar a rede, os hackers roubam todas suas informações em troca de valor de resgate.

A Cisco, através de seu reconhecido time de pesquisa, o Talos, conhece bem ataques como este e pode ajudar você e sua empresa e evitar o roubo de dados. Além disso, nosso relatório semestral de segurança, detectou o aumento destes ataques no Brasil. Confira o Cisco Security Mid-Year Report aqui.

Só quem entende pode proteger toda a extensão da sua rede.

A Cisco promove a proteção em toda a extensão de sua rede, em diversos devices e garante visibilidade, controle e remediação durante todo o ciclo de uma ameaça – seja antes, durante ou depois de um ataque.

Não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” será o ataque. Você está preparado?

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Hackers invadem computadores e celulares e sequestram dados

Método de ataque é uma das principais ameaças virtuais de 2015.
Golpe já movimentou mais de R$ 70 milhões pelo mundo.

Fantástico decifra um golpe que tomou conta da internet: o sequestro de dados. Criminosos virtuais invadem computadores e celulares e só liberam os arquivos depois do pagamento de um resgate. Diversas pessoas, empresas e até prefeituras no Brasil já foram afetadas pelo golpe.

Para assistir o vídeo, acesse: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/10/hackers-invadem-computadores-e-celulares-e-sequestram-dados.html

Fonte: G1 Globo

Falha no Java deixa computadores abertos a ataques de hackers

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Um novo vírus nos sistemas operacionais Linux, MAC OS e Windows, foi identificado nesta quinta-feira e deve chamar a atenção de seus usuários para possíveis invasões em seus computadores. Segundo os especialista da Kaspersky Lab, que identificaram o vírus, por meio de uma falha no Java os criminosos podem usar uma vulnerabilidade e transformar as máquinas em “zumbis”, usando remotamente para acessar e atacar outros sites e servidores online.

A falha CVE-2013-2465 permite ao hacker adicionar um malware que é copiado no diretório do usuário e executado no sistema operacional. Depois de instalado, o vírus aparece com o nome “jsuid.dat” e possibilita o acesso completo ao computador. Após instalado, o bot é controlado por meio do Irc e usa o framework PircBot para melhorar a comunicação.

Ataques com computadores em modo zumbi são utilizados para avançar contra grandes empresas e governos, como aqueles realizados ao site do Petrobras e da Receita Federal em junho de 2011, na técnica conhecida como ataque distribuído de negação (DDoS).

Após instalado, dificilmente os usuários sabem que sua máquina está sendo utilizada como zumbi, como afirma Fabio Assolini, analista sênior de malware da Kaspersky Labs no Brasil. “As pragas digitais feitas por cibercriminosos mais experientes são programadas para passar desapercebidas no computador infectado da vítima”, disse o executivo.

Para evitar problemas com o Java o especialista deixa como dica atualizar o Java e use bom anti-vírus, ou caso não o use, pode desinstalar o programa.

“Em 2012 registramos que 50% de todas tentativas de infecção feitas pela internet exploravam alguma falha do Java para infectar os internautas, isso se passa porque muita gente não o atualiza. Para usuários que não precisam do Java para nada recomendamos que o desinstale”, explica Assolini. “Basta que o usuário tenha um bom programa anti-vírus e mantenha o Java sempre atualizado”, completa.

Procurada pelo Terra, a Oracle não se posicionou sobre a falha no programa.

Gastos com TI crescerão 3,1% em 2014, dizem analistas

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Os gastos com Tecnologia da Informação (TI) em todo o mundo deverão crescer 3,1 por cento este ano, a 3,8 trilhão de dólares, depois de um 2013 estável, e serão impulsionados por empresas que começam a aproveitar a “big data” de smartphones e outros dispositivos, disseram analistas da Gartner nesta segunda-feira.

“Big data” é a capacidade de processar e analisar a massa de dados coletados pelas empresas, como operadoras de telefonia móvel, varejistas e companhias aéreas, para fornecer informações que lhes dão vantagens sobre rivais.
O setor de software para empresas será o mais dinâmico em 2014, disse a Gartner, com o conjunto de gastos globais subindo 6,8 por cento, para 320 bilhões de dólares.

“O investimento é proveniente de exploração de análise para tornar os processos B2C (sigla em inglês para business to consumer, ou ‘negócio para o consumidor’, na tradução literal) mais eficientes e melhorar os esforços de marketing para clientes”, disse Richard Gordon, vice-presidente executivo da Gartner, em um comunicado.

Os gastos com dispositivos, incluindo computadores pessoais, celulares e tablets, crescerão 4,3 por cento em 2014, informou a Gartner, depois de uma contração de 1,2 por cento em 2013.

No entanto, o grupo de pesquisa rebaixou sua previsão de crescimento em serviços de telecomunicações, que respondem por mais de 40 por cento do total das despesas de TI, para 1,2 por cento ante estimativa anterior de 1,9 por cento, diante de fatores como declínio de taxas de voz na China.

Anti-Vírus em Indaiatuba?

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Já está no ar o novo site da Maxlan!!!

Saiba um pouco mais sobre a Maxlan:

Existe a mais de 10 anos, sempre com o foco na qualidade e eficiência do serviço prestado ao cliente.
Contamos com uma equipe de profissionais atualizada e capacitada para atender nossos clientes da melhor forma possível.
Possuímos fornecedores e parceiros estratégicos.

Missão
Satisfazer as expectativas e necessidades de nossos clientes com serviços de qualidade e agregar valor aos produtos vendidos, mantendo sempre um ambiente familiar e que promova o crescimento das pessoas e da empresa.

Visão
Sermos reconhecidos como a melhor empresa de prestação de serviços de TI de Indaiatuba.

Valores
Honrar nossa palavra
Curtir o que fazemos
Trabalhar com verdade e ética

Conheça sobre o serviço de Anti-Vírus:
A F-Secure é líder mundial no fornecimento de soluções de segurança para dispositivos móveis , operadoras de celulares e provedores de Internet.
A empresa tem sede em Helsinki, na Finlândia mas sua qualidade e comprometimento com os consumidores levou a expansão para vários outros países, entre eles Estados Unidos, França, Alemanha, Suécia, Reino Unido, Itália.
Os sistemas de segurança para informática da F-Secure já ganharam vários prêmios e a empresa foi classificada pela Gartner como pioneira e visionária.
Oferecemos diversas soluções em segurança para sua empresa e seus dispositivos móveis sempre utilizando a mais alta tecnologia para proteção de seus equipamentos.

Visite o site da maxlan: http://www.maxlan.com.br