Posts com a Tag ‘manutenção de sistemas de TI’

7 dicas de segurança para as compras de final de ano

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A última Black Friday, do dia 29 de novembro, serviu como mais uma prova de que o brasileiro é um consumidor online voraz – e o cenário de consumismo deve se repetir agora neste final de ano. Mas antes de sair comprando, é bom lembrar que nem tudo que aparece na internet é confiável, e que casos de roubos online estão longe de ser incomuns – o alto fluxo de vendas atrai eventuais crackers. Justamente por isso, separamos dicas de segurança, algumas dadas pelo especialista Daniel Lemos, para evitar que você caia em alguma armadilha durante as compras de fim de ano. Confira a seguir:

1. Não compre em qualquer site
“Esse é o ponto principal”, diz Lemos. É bom verificar a credibilidade dos sites antes de sair preenchendo os campos com os dados de cartão de crédito, por exemplo. Para facilitar a identificação de páginas pouco confiáveis, o Procon disponibiliza uma lista com as lojas de má-reputação. Vale conferi-la – e checar também os certificados E-bit, por exemplo, usados em sites como o Buscapé e o BondFaro.

2. Verifique o certificado das páginas
Páginas falsas, que imitam o layout de estabelecimentos conhecidos, também são outra ameaça. “Eles simplesmente enrolam o cliente, e você acaba saindo no prejuízo”, afirma o especialista. Os produtos “comprados” nunca serão entregues, e as informações digitadas em sites do tipo são simplesmente roubadas, indo parar nas mãos ou no banco de dados do criminoso responsável. Então, verifique a URL do site antes de cogitar a compra e confira também o certificado das páginas – um cadeado ao lado do endereço é um bom sinal.

3. Evite redes abertas e ambientes públicos
É básico, mas nem todo mundo segue. Ao fazer compras em uma rede de internet compartilhada – aberta ou pública –, seus dados podem ser “vistos” por algum criminoso que também esteja conectado a ela. Então, se estiver em casa, deixe a rede Wi-Fi protegida por senha, no mínimo – e “só faça as compras online quando estiver a uma rede segura”.

4. Cuidado com as promoções
Ofertas muito boas podem ser, na verdade, grandes farsas. Já vimos isso na Black Friday, e no Natal não é diferente. Então, “nunca confie imediatamente em promoções online, especialmente aquelas que vêm de fontes duvidosas”. “Ligue para a loja e, na dúvida, cancele a compra”, diz Lemos. Ele também recomenda evitar os links com grandes descontos que vêm por e-mail, mesmo que o remetente seja conhecido – não os abra, e muito menos baixe os anexos que eventualmente estão na mensagem.

5. Fique atento nas redes sociais e até no Google
“São várias as formas de ludibriar um usuário, e uma delas se dá por meio das redes sociais”, diz Lemos. Da mesma forma que os links que chegam por e-mail, os que aparecem na linha do tempo do Facebook nem sempre são confiáveis, mesmo se postados por pessoas conhecidas – elas podem ter caído em um golpe, que as fez compartilhar a URL automaticamente.

Mesmo o Google também não é exatamente confiável. O especialista lembra que criminosos espertos conseguem otimizar páginas falsas, fazendo-as aparecer entre os primeiros resultados nas buscas. Então, ao entrar em uma, não se esqueça das dicas 1 e 2.

6. Use apps oficiais e baixe apenas de fontes confiáveis
“Diversos sites já dão a opção de comprar a partir de smartphones ou tablets”, seja no navegador ou por meio de um aplicativo. Se for nessa segunda opção, certifique-se então de baixar o programa das lojas oficiais – e apenas os feitos pelos desenvolvedores “originais”, já que até a Play Store e a App Store falham. E o mesmo vale para qualquer outro aplicativo, aliás. Para evitar problemas, é válido até manter desativada a opção que permite a instalação de apps de fontes desconhecidas.

7. Mantenha atualizados o antivírus, os programas de segurança e o sistema operacional, inclusive nos smartphones
Afinal, são esses os programas que protegem os dispositivos de malware que, entre outras funções, pode roubar informações sensíveis e comprometer uma compra. Além disso, como lembra Lemos, o filtro de spam ajuda a evitar e-mails indesejáveis.

A dica vale também para smartphones e tablets, já que ameaças para dispositivos móveis são uma realidade há algum tempo. Recomendamos ao menos as soluções gratuitas, que já devem garantir um grau de segurança razoável. Então é bom baixar um antivírus – apenas um, para evitar conflitos entre programas – e, nos computadores, um firewall.